Essa é a história do meu milagre chamado RAFAEL.

Uma gravidez desejada, cheia de riscos, mais cheia de amor.

Tenho Incompetência Istmo Cervical com histórico de duas perdas: Carlos Daniel, 18 semanas, 2007 e Marcos Vinicius, 20 semanas, 2009.

Após 225 dias de repouso, descolamentos de placenta, duas cerclagens e diversas infecções, venci a IIC e recebi meu milagre na noite de Natal.

Hoje sou mãe!!!




E-familynet.com Ticker


domingo, 2 de dezembro de 2012

11 meses

Nossa já faz quase 1 ano!
Quando paro pra pensar me assusto, dá saudade da barriga, das mamadas, do chorinho, do cheirinho rs...
Dá saudade de quase tudo, dos bons e não tão bons momentos.

Meu bebê parou mesmo de mamar, ainda tenho leite e de vez em quando tiro um pouco e ele toma com gosto. Na ultima pesagem, ele estava com 12,700 kg, bem gordinho para a idade, quase não consigo carrega-lo para onde vou, tenho sempre que pedir a alguem quando tenho que sair sozinha, ou o pai para nos levar de carro.

Ele ainda continua com a leite de soja, mais acho que algo vai mudar, ele tem vomitado muito.

Esse mês ele sofreu com mais uma bronquiolite e os dentes nascendo, nossa como é desgastante para a mãe tbm rsss Fica todo choroso, só quer colo, já pensou com esse peso?
Semana passada ele passou um dia com 39 de febre, um dia inteiro sem comer e um dia vomitando tudo que comeu, dificil... Ele fica enjoadinho a noite e acaba dormindo comigo na cama, abraçadinho comigo ou o pai, é o que acalma.

Já anda bastante pela casa, muito cuidado com ele, ja que tenho que ficar atras, com medo dele se machucar.Sem falar da boca, eita boca maravilhosa, entra tudo nela hehe A casa tem que ficar totalmente limpa, qualquer lixinho, pór menor que seja, ele come hehe Já comeu folha de samambaia, um pinguinho de cola quente, sabonete, quase uma formiga, sem falar das coisas que eu não vi... Não me deixa fazer quase nada, não para mais no andador e chiqueirinho só serve para dormir, ele chora só de olhar. Meu marido espalhou portões pela casa, mais não adianta, tem dias que ele só quer colo, outros só quer chão, mais o que ele sempre quer é a mãe rsss

Também está falando bastante, palavras como totó (nome de nosso poodle), agua, bibi (carro de passeio), dadá, entre outras...

Pirracento que ele só, se não damos o que ele quer já era, se debate e grita demais, tenho até que pedir orientações a pediatra sobre como agir...

Faz bichinho e dança com bastante desenvoltura.

Ele é uma gracinha, tudo que eu pedi a Deus e mais um pouco, ás vezes se parece comigo, outras com o pai, infinitamente, como é bom ter filhos, se eu pudesse... tivesse mais dinheiro e tempo, eu teria pelo menos mais dois....


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

10 Meses

Ufaa...
Ele acabou de dormir. Hj o dia foi meio pesado, ele está com uma mania de chão que cansa demais a mamãe, é só pegar no colo e lá vem a choradeira. Acha que já sabe andar, apesar de dar alguns passos, sempre entre 20 a 30 passinhos, só engatinha para poder se apoiar em algo e ficar de pé. Eu morro de medo dele cair e se machucar, toda hora entra dentro do rack da sala, cisma com lixeiras e qqr novidade já é motivo para chorar e ficar falando "mamã, mamãe, nenem"....

Hj estou tbm meio triste, me dei conta que ele não quer mais mamar no peito e fico me perguntando onde eu errei. Poxa é tão importante pra ele por causa das alergias. Como eu dei um mole desses? Eu li na internet que pode ser por diversos motivos, entre eles o nascimento de algum dentinho ou alguma gripe ou resfriado. Ele está se recuperando de uma BRONQUIOLITE, a duas semanas ele ficou bem caidinho e com muita dificuldade para respirar, talvez isso contribuiu um pouco tbm para o desmame... Tem um dentinho nascendo tbm, mais sei lá, ele parece estar com nojo do seio, isso esta me fazendo tão mal...

A alimentação dele continua a mesma, e eu tentando seguir uma rotina rsss

A noite ele dorme bem no geral, está dormindo comigo por esses dias pq estava doentinho, mais pretendo passar ele para o berço hj msm. Durante o dia ele dorme no cercadinho aqui na sala de jantar, pq é mais perto de mim no terreo, dorme alguns minutos na parte da manhã pq acorda muito cedo, por volta das 6h. A tarde ele quase sempre dorme em torno de 1:30 a 2 h. Ainda dorme no colo da mamãe, nunca sozinho no berço.

Na ultima pesagem 12,1 kg, quase não aguento mais no colo, todos os dias dor no ombro esquerdo que é o lado que mais carrego ele.

Eu realmente bato palmas para as mães que conseguem conciliar filhos, emprego e a casa. Nossa como eu fico enrolada para conseguir limpar a casa e preparar as refeições.

MAIS...

RAFAEL é o amor da minha vida, ainda me pego chorando as vezes, sem acreditar que a tão pouco tempo ele estava dentro de mim, que ele é parte de mim, por dentro e por fora. Como um ser humano pode amar tanto assim? Não sei o que seria de mim sem RAFAEL... Ele é o motivo de eu respirar, de comer, de viver.
Tudo que faço é por ele, para ele, para seu bem estar.
Como me desespero quando ele engasga ou vomita, quando tem dificuldades para respirar ou apenas uma tosse, fico desesperada quando olho em seus olhos e vejo que ele não está bem por algum motivo, quando ouço aquele chorinho de dor... Nossa, não existe amor maior que o meu por Rafael.

Percebe pq estou tão triste por ele não querer mais mamar?
Parece que ele tem nojo de mim, parece que vou perder um pouco o  vinculo com meu bebe, que ele vai se distanciar de mim... É com lagrimas nos olhos que escrevo essas linhas...

Obrigada, seja quem for, por me ouvir.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

DESENVOLVIMENTO 9 MESES


O desenvolvimento do bebê com 9 meses de vida.

Está quase pronto para andar e ter novas experiências a cada dia.
Seu bebê, se já não estiver engatinhando, demonstra que está quase pronto para isso. Já senta sem apoio nenhum e com muito equilíbrio, e sua concentração está apta a conhecer mais sobre seu corpo e o meio a seu redor. Faz movimentos coordenados preparando-se para andar em breve, além de já estar adquirindo noções espaciais mais precisas, como saber a distância em que se encontra o brinquedo que quer, se basta esticar um braço para pegá-lo ou se será preciso locomover-se para alcançá-lo. Começa a aprender a observar profundidades, soltando um objeto e acompanhando sua trajetória até o chão. Por isso é que jogam tudo o que têm em mãos; não se trata, portanto, de rebeldia mas de novas experiências.

O bebê e a sujeira na hora da comida.

Nessa fase, ele passa a ter noção dos alimentos que estão em seu pratinho. Também já associa a colher ao ato de se alimentar. Vai querer usá-la, batendo e cavocando a comida, e fazer muita sujeira. Deixe-o ir experimentando sua nova descoberta. Mesmo que não acerte, ele desenvolve sua capacidade motora, além de se familiarizar com a própria capacidade de fazer um dia o que até então dependia de sua mãe. Mas é só depois, por volta dos 12 meses, que o bebê vai tentar manejá-la para se alimentar.
Por enquanto:
- Deixe sempre a colher ao alcance da mãozinha dele.
- Compre uma colher especial, cujos cabos trazem figurinhas estampadas para atraí-lo
- Se preferir, há colheres tortas para facilitar o trajeto até a boca.
- Prefira materiais menos duros, como o plástico menos rijo, que não machuca em casos de tentativas mal sucedidas.

A dentição do bebê com nove meses de idade:

É por volta dos 9 meses, quando ele já está fazendo mil e uma gracinhas, é que surgem os dois incisivos centrais superiores e os dois incisivos laterais, superiores e inferiores. São oito dentes na boca do bebê. Em geral, as crianças já têm condições de cortar pequenos pedaços de frutas que lhe oferecem. Habitue-se, portanto, a substituir as maçãs raspadinhas por pedacinhos consistentes. Isso vai estimular bastante a mastigação. Embora não tenha todos os dentes, as gengivas mais fortes contribuem para a trituração de sólidos.
Alimentação inadequada!
Não é raro a mãe achar que a criança se alimentou mal e complementar a refeição com leite achocolatado. Além de agradável ao paladar, o alimento provoca sensação de saciedade. Na próxima refeição, dificilmente ele estará com fome e novamente vai comer pouco. A mãe, preocupada, volta a lhe oferecer leite. Está estabelecido o círculo vicioso. Além de errado, pode desenvolver carências futuras, como a falta de ferro, que no leite é encontrado em quantidades insuficientes. Resultado: a criança torna-se séria candidata à anemia.
O prato predileto do bebê.
Não existe criança que não goste de batatas fritas. Quando pequenas elas se deliciam, segurando-as na mão e mordiscando pedacinhos. Mas não deixe seu bebê provar das fritas industrializadas. Só aquelas feitas em casa. Tente também deixar as batatas menos engorduradas. Há uma receitinha para isso: ponha maisena no óleo quente na hora de fritar. Lembre-se também de que se trata apenas de um “prazer eventual” e não substitui refeições. Comida é comida. Quer dizer: carne, grãos, legumes e verduras. Batata também, mas cozida.
Dedos em pinça
O bebê já pega com as pontas do dedo em pinça. Aproveite. Deixe-o pegar a comida. Vai ajudá-lo a se familiarizar com itens que estão em seu prato. Ele vai sentir a textura e em seguida o sabor. Vai aprender a distinguir doces de salgados, o sabor mais azedinho, o alimento mais crocante. Terá mais prazer em comer. Veja como facilitar a nova tarefa dele.
- Use pratos de plástico, se preferir com ventosas que fixam o utensílio na mesa o no cadeirão.
- Dê a refeição dele num local apropriado, de limpeza fácil.
- Não o repreenda se ele espremer o alimento. É parte muito importante das descobertas.
- Coloque pedacinhos pequenos, seja de batata, de legumes, de carne que vão se desmanchar na boca, evitando que ele engasgue.

bebe 9 meses 300x199 9 meses. Confira o desenvolvimento do bebê mês a mês.
Bebê - 9 meses
O que fazer para não atrapalhar o desenvolvimento da linguagem:
- Não reprima a expressão natural. Não precisa ficar repetindo, “não é áua, é água”, por exemplo. É que ele ainda não consegue reproduzir alguns sons.
- Não queira fazer o papel de uma professora de oratória, exigindo mais a cada progresso e tentando fazer com que ele repita corretamente palavras que nem fazem ainda parte de suas necessidades diárias de comunicação.
- Não compare seu filho com outras crianças da mesma faixa etária. Ele é único e por isso tem suas próprias aptidões e dificuldades.
Bebê com tendência à diarréia?
É uma receitinha caseira mas, dizem, bastante eficaz. Coloque num litro de água fervente dez folhas de goiabeira previamente muito bem lavadas. Deixe descansar por dez minutos, espere esfriar e ofereça a bebida em pequenas doses ao seu filho. Mas lembre-se: esse chá só deve ser administrado em casos de diarréia muito leve, provocada por excesso de algum alimento naturalmente laxante. De todo modo, não deixe de comunicar ao pediatra tanto a diarréia quanto a ingestão do chá terapêutico. Todos os médicos conhecem bem esses tratamentos caseiros.
Higiene do bebê
Higiêne é saude!!! Verdade? Mas até certo ponto.
- Agora que ele vive pelo chão, você está sem saber como proceder com a lavagem das roupas dele. Fica pensando em desinfetar tudo. Bobagem. Lave normalmente, como fez até hoje.
- Lave as mãozinhas dele antes das refeições. Principalmente agora, que manipula o alimento, evita contaminações. Água e sabão bastam.
- Escove os dentes dele depois de cada refeição, para evitar a placa bacteriana e a cárie. Até mesmo depois do leite noturno, pois a quantidade de saliva, um desinfetante natural da boca, diminui enquanto dormimos. Mesmo que não se adicione açúcar, o leite contém lactose, que fermenta e favorece a formação de cáries.
Se ele se machucar…
O bebê está cada vez mais ativo. Locomove-se para todo o lado, mas ainda não tem capacidade de dimensionar distâncias nem de memorizar tudo. Rodeia a mesa, enfia a cabeça em baixo para experimentar e se levanta. Resultado: dá com ela no tampo. Assusta-se, chora muito e até se machuca um pouco. Fique calma. Acidentes como esse só começaram. Você ainda terá muitos pela frente. O remédio é acalmar a criança, conversar em tons suaves, transmitir-lhe segurança e tomar algumas precauções:
- Dê preferência aos móveis com as quinas redondas.
- Evite mesinhas com tampos de vidro, sobretudo aqueles sem fixação e com menos de 12 milímetros de espessura. Lembre-se de que ele vai usar tudo que encontrar para se apoiar.
- Tente reduzir o número de enfeites quebráveis, como porcelana e cristal, em móveis baixos de fácil acesso para o bebê. Ele pode se machucar, e muito.
- Fique atenta às cadeiras que tenham almofadas soltas sobre o assento. Ele se agarrará nelas para se levantar e se apoiar. Não é seguro.
- Cuidados especiais com as portas. Eles vão se segurar nelas também e podem fechar seus próprios dedos. Se puder colocar presilhas no piso, melhor. Caso contrário, fique atenta aos movimentos do bebê.
9 meses – Curtindo praia e piscina
Coloque sempre um protetor no chão, mesmo que o bebê esteja de calçãozinho ou fraldas. Areia direto na pele do bumbum não convém e à beira da piscina pode ter formigas. Espalhe os brinquedinhos a sua volta. Encha um balde, daqueles mais rasos de água e acompanhe relaxada. Ele vai se molhar, sim. Mas vai se divertir. E se o tempo estiver apropriado, não há mal algum. Com sol forte demais, só embaixo de uma barraca, com chapeuzinho e protetor solar, fator de proteção solar 30. Depois:
- Dê-lhe um bom banho morno e hidrate-o bem.
- Passe pomada contra assadura, pois o calor pode desencadeá-la com mais facilidade.
-Coloque uma roupa fresca em seu bebê. Depois, se for o caso, agasalhe-o mais

9 meses

Rafael agora está com 9 meses, meu Deus como passa rápido!!!

Ele engatinha com facilidade, se agarra onde puder para se levantar e fica em pé segurando-se apenas com uma das mãos. Na verdade acho que ele pensa que sabe andar, ele solta as mãozinhas e sai andando, tenho que ficar atenta a todo momento. 
Ele bate em tudo o tempo todo, até dormindo ele segura a mamadeira com uma das mãos e bate com a outra. Sei que é da idade por isso ainda não chamo a atenção dele para os tapas que recebemos.
No chiqueirinho ele engatinha, senta, fica em pé, rola, joga as coisas para fora, a unica coisa que ele ainda não faz é sentar sozinho, quando está deitado de barriga pra cima ele até tenta levantar, mais não consegue, estou estimulando.
Não fica quito nenhum segundo, só quando está dormindo ou com sono.

Sobre a alimentação estou muito feliz pq consegui pelo SUS o leite de soja dele. Ele tem intolerância a lactose, mais tenho fé que por volta dos 12 meses faremos novos exames e ele estará liberado a consumir alguns alimentos com leite comum.
Ele come muito bem, não há recusa de alimentos, apesar de não gostar muito de beterraba.
Atualmente ele não se alimenta nos horários certinhos, mais tento seguir a seguinte tabela:

04:00 /05:00 - Mamadeira
08:00 - Mamadeira
10:00 - Lanche
12:00 - Almoço
15:00 - Lanche
17:00 - Suco 
19:00 - Jantar
10:00 - Mamadeira
01:00/02:00 - Mamadeira


Cada mamadeira contém mais ou menos 230 ml de leite de soja, no momento ele toma Aptamil 2 soja.
No lanche eu costumo oferecer frutas frescas (quase sempre banana) misturadas ou não com outras frutas ou com geléia de mocotó. Ele tbm belisca de vez em quando um pedacinho de pão.
No almoço ou jantar ofereço legumes e verduras geralmente batidos ou amassadinhos com a garfo, com uma colher de sopa de arroz ou macarrão e as vezes com um pouco de caldo de feijão (Ele ainda sofre com gases).
O suco das 17 horas eu geralmente dou para atrasar um pouco o jantar para que o pai participe pelo menos da jantinha do Rafa.


Ele já tem 7 dentinhos e mastiga tudo que come, é lindo demais vê-lo comendo, ele sempre chora quando a comida acaba, eita moleque guloso hehe.

Durante a noite ele acorda algumas vezes, geralmente para mamar, e para trocar a fralda, duas fraldas por noite em média, uma na hora de dormir, outra no meio da noite. Prefiro que ele durma perto de mim, faz tempo que ele não dorme no quarto dele, mais por preguiça da mamãe de ficar levantando de madrugada rs
Estamos há muito tempo dormindo na sala de estar, costume bobo pq moramos numa casa de dois andares, fica mais fácil para usar o banheiro e esquentar as mamadeiras sem demora. Quando dormimos na sala, ele dorme até as 3 ou 4 da manhã no chiqueirinho, depois só consegue dormir se estiver abraçadinho com o papai.
No quarto, cheguei minha cama para o canto, e ele dorme no cantinho, até a hora do aconchego. Morro de medo dele ficar na cama. Um dia desses ele acordou e saiu engatinhando, sorte que estávamos no colchonete no chão. Mais até quando está no berço ou chiqueirinho, ele acorda e levanta, fica em pé numa rapidez que só vendo.
Geralmente ele dorme um sono rapido na parte da manhã, entre a 15 a 20 minutos e a tarde um sono mais longo, entre 1 a 2 horas. A noite, adormece por volta das 21 horas, acorda muitas vezes por volta das 6 da manhã, mais estou acostumando ele a ficar um pouco mais na cama, até umas 8 horas.

Ele fica bastante tempo com a vovó Neuza e vovô Augusto, que me ajudam a cuidar dele quando me enrolo com as tarefas de casa. Meu pai leva o Rafa para passear de carrinho quase todos os dias, o danadinho adora rsss

Ele já pronuncia muitas palavras como: Mamã, Papá, au au, dinda, dindo, vovó, vovô, goool, boom, buuu (carrinho) entre outras...







sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Cólicas aos 8 meses

Terrivel, não há outra palavra!!!

Rafael sofreu muito com cólicas até os 3 meses e meio, agora elas voltaram acho que por causa do FEIJÃO que estou introduzindo na alimentação dele.

Ele está gripado, com 4 dentes saindo ao mesmo tempo e com cólicas, há duas noites não durmo, fico com ele no colo quase a noite inteira.a diferença é que agora em vez de 3,5 kg ele pesa 11kg. Estou acabada, com dores em tudo quanto é lugar, sem falar da pena que sinto de meu filho, tadinho só sabe chorar.
Ontem não teve jeito, eu não sabia distinguir o que ele tinha e tivemos que ir ao pronto socorro a meia noite, chegando lá, somente gases.. Ainda bem néh!

Quanto a alimentação, ele ainda mama no peito, só que cada dia menos. Tento seguir essa rotina de alimentação:

00:00 - 170 ml Nan Soy
03:00 - 170 ml Nan Soy
06:00 - 170ml Nan Soy
09:00 - Vitamina ou Fruta
12:00 - Almoço ( mais ou menos 100ml de legumes, arroz bem molinho, caldo de feijão e carne + suco)
15:00 - Fruta ou ge´leia de mocotó (misturada ou não com banana)
18:00 - Jantar (igual ao almoço)
21:00 - 170 ml de Nan Soy

Vale lembrar que ele tem intolerância a lactose então nada de iogurte ou biscoitinhos.

Tomara que esta noite seja mais tranquila...

Bjus

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

20 formas estimulantes de brincar com um bebê


Recém-nascido a 3 meses
Para muitos pais e mães de primeira viagem, um recém-nascido pode até parecer nada mais que uma máquina de fazer cocô e de chorar. No máximo, uma criaturinha que passa a maior parte do tempo deitada inerte. Então não tem jeito mesmo de se conectar a esse ser e até se divertir com ele?

Tem sim. A melhor estratégia para isso é aguçar os sentidos do seu filho: através do toque, da visão (lembrando que ele ainda não enxerga muito bem), do olfato e da audição. O paladar fica para um pouco mais tarde, quando a variedade de sabores entrar na vida dele.

Observação: Seja paciente e contenha suas expectativas, porque poderá levar um tempinho para o bebê responder a seus estímulos, se responder. O máximo que você pode fazer é continuar tentando ou esperar para que ele esteja um pouco mais acordado para querer brincar.

Dois pra lá, dois pra cá
Naquele finalzinho de tarde melancólico, em que ele invariavelmente abre o berreiro, sempre na mesma hora, como se fosse relógio, experimente colocar uma música bem gostosa (só não exagere nas batidas e no volume), segurá-lo nos seus braços e dançar juntinho pela casa.

Vá com calma e comece com movimentos mais suaves, não se esquecendo de apoiar o pescoço do neném e de não sacudi-lo. Quando seus braços cansarem, deite o bebê de modo que possa acompanhar você e mantenha os passos.

Movimentos exagerados e engraçados, como rebolar ou balançar braços para cima e para baixo, são especialmente cativantes para crianças pequenas.

Olha que legal!
A maior parte das brincadeiras desta fase consiste em mostrar coisas para o seu filho. Vale qualquer objeto da casa que não corte, queime ou possa ser engolido. Bebês adoram colheres, espátulas, tampas, embalagens de margarina ou xampu vazias e lavadas, almofadas aveludadas, caixinhas de presente e paninhos.

Tenha uma "caixa secreta" de itens interessantes por perto para, de repente, tirar alguma surpresa de lá como se fosse mágica. Segure o objeto a cerca de 30 centímetros de distância do bebê e encare-o com encantamento para mostrar como isso funciona para seu filho. "Nossa, olha que incrível como essa caixa abre e fecha!".

No que diz respeito a livros, não espere que uma criança tão pequena realmente entenda do que se tratam. Mas o ritmo da sua voz e a sua companhia, além de estímulos visuais, costumam ser apreciados pelos pequenininhos. Você vai saber se ele está gostando da atividade se ficar atento e quietinho enquanto você vira páginas e aponta para formas e ilustrações coloridas.

Os bebês não costumam prestar atenção por muito tempo e quando ficam um pouco mais velhos começam a pegar os livros da sua mão e fechá-los. Não estranhe, porque isso faz parte do desenvolvimento. O que conta para eles é a interação com você, não a história em si.

O que é isso em cima da minha cabeça?
Você logo vai perceber como dá para se divertir achando tesouros na sua própria casa, sem ter que sair por aí gastando dinheiro. Veja a seguir três ideias para começar:

• amarre ou cole fitas ou tecido em uma colher de pau e suavemente passe por cima e na frente do rosto do bebê.

• pegue um lenço mais sedoso e balance-o pelo ar, deixando-o pousar na cabeça do bebê.

• enrole um brinquedo pequeno em um daqueles elásticos mais molinhos e lance-o para baixo e de volta às suas mãos, como se fosse ioiô, falando "Boing! Boing!" toda vez que descer.

Observação: Nunca deixe uma criança sozinha com fitas e laços, porque eles podem facilmente ficar enrolados no pescoço ou ser colocados na boca.

Solte a voz
A sua voz é um susto? Não tem o menor problema, porque seu filho não sabe disso e tudo que sai da sua boca é música para os ouvidos dele.

Caso ainda não tenha feito isso, é hora de reaprender alguns clássicos do repertório infantil, como "Boi, boi, boi, boi da cara preta…", "Ciranda, cirandinha…", "Como pode um peixe vivo viver fora…", "A canoa virou…" e "A dona aranha subiu pela parede…". Se não conseguir se lembrar das letras, faça uma busca na Internet.

Procure fazer vozes diferentes, mudar o tom, cantar mais baixinho e, de repente, mais alto, incluir o nome do bebê na música. Acrescente objetos ao número musical, como um fantoche ou até uma meia colocada em cima da sua mão fechada.

Pode ser que a princípio tudo pareça meio bobo, mas, à medida que você perceber o quanto seu filho gosta de ouvir você cantar, isso passa. A verdade é: acostume-se a cantar, porque a música tende a ser parte essencial da infância e do aprendizado das crianças.
4 a 6 meses
Nesta idade, o bebê começa a ficar bem mais ativo, ao aprender a virar de um lado para o outro e a se sentar. Outra novidade é a habilidade de segurar, manipular e levar objetos à boca, algo que o ocupará por horas a fio e exigirá atenção redobrada da sua parte.

As crianças passam também a responder melhor às tentativas de entretê-las, soltando gritinhos de alegria e olhando os pais nos olhos.

Bolinhas de sabão
Elas são simplesmente irresistíveis, e agora a visão do seu filho já o permite acompanhá-las a uma maior distância. No meio de uma crise de choro, procure uma área externa e comece a assoprar as bolinhas só para ver o que acontece: as lágrimas param na hora. E se puder ir a um local onde crianças maiores estejam brincando, melhor ainda. Elas virão correndo para olhar as bolhas também e acabarão entretendo o bebê só com sua presença. Outra vantagem é que esse é um brinquedo fácil de transportar e barato.

Vou te pegar!
Não há criança no mundo que resista à ameaça de um monte de beijos, abraços e cócegas. É só dizer: "Júlia: estou vendo você sentadinha aí... Acho que vou aí te pegar e te encher de beijinhos. Vou te pegar! Vou te pegar! Te peguei!". Faça então o prometido e veja só que gargalhadas gostosas vai receber.

Você pode também ameaçar de "comer" pés, mãos e barriga, outro sucesso garantido. Quando seu filho for mais velho, modifique um pouco a brincadeira, acrescentando uma corrida de pega-pega pela casa (aliás, essa brincadeira é uma maravilha de fazer quando você está atrasada e ele "emperra" que não quer sair de jeito nenhum -- é só começar com um "Cuidado que eu vou te pegar…" em direção à porta).

Dedo mindinho, seu vizinho…
Pegue delicadamente cada dedinho do seu filho e vá dizendo o famoso "dedo mindinho, seu vizinho, pai de todos, fura-bolos e mata piolhos", terminando com seus dedos da mão escorregando para a barriga dele, em uma coceguinha gostosa.

Há também a versão para os dedos dos pés, começando pelo dedão: "Este porquinho foi ao mercado; este porquinho ficou em casa; este porquinho comeu carne assada; para este porquinho, não sobrou nada. E este porquinho aqui veio gritando ... (e aí é a hora de subir com seus dedos até a barriga, para fazer cócegas) até chegar em casa".

Esse tipo de brincadeira é muito útil na hora de colocar meias e sapatos ou de distrair a criança para trocar a fralda sem muito vira-vira.

De barriga para baixo
É bem possível que seu pediatra já esteja aconselhando a colocar o bebê de bruços no chão (em cima de uma toalha mais felpuda ou um edredom), mesmo se ele reclamar um pouco, já que a posição é mais cansativa.

Ajude-o a se divertir com isso deitando-se também no chão de barriga para baixo e fazendo um olho-no-olho. Depois, vire-o devagarzinho de um lado para o outro fazendo algum som engraçado (pode até ser um simples "Opa" a cada virada) para incrementar a atividade.

Bebê voador
Agora que a cabeça está mais firme, já dá para brincar de aviãozinho ou de foguete, fazendo o bebê "voar" na horizontal, deitado e bem apoiado entre seus braços (papais costumam ser craques nessa brincadeira). Uma variação é brincar de elevador: você segura o bebê no colo e sobe e desce em direção ao chão com ele, contando os andares ao mesmo tempo (a menos que esteja em excelente forma física, você não precisa se agachar até o chão!).
7 a 9 meses
Seu filho já é quase um especialista em se sentar e logo logo estaráengatinhando por aí. Encha-o de elogios a cada conquista, mesmo após os inevitáveis tombos. "Lucas, olha só como você consegue sentar bonito!". Bebês adoram palmas como parte do elogio.

Outra coisa que faz cada vez melhor é passar objetos de uma mão para a outra e segurá-los. Além do mais, ele começa a entender que, se um brinquedo não está à vista, isso não quer dizer que sumiu para toda a eternidade. Aproveite para brincar bastante de esconder o rosto atrás das mãos perguntando "Onde está a mamãe?" e depois abri-las dizendo "Achou!".

Pega, segura e bate
Se ele tiver um só brinquedo na mão, vai tentar batê-lo na mesa sem parar. Se tiver dois, vai tentar bater um no outro, segurá-los contra a luz para ver o efeito, batê-los separadamente e depois junto na mesa, transferi-los de uma mão para a outra, enfim, uma infinidade de combinações.

Para ajudar, tenha sempre por perto itens que fazem sons interessantes, como embalagens plásticas vazias, colheres de metal, sinos e chocalhos.

No controle
Bebês adoram observar situações de causa e efeito, como quando percebem que, se apertam um botão, a luz se acende. É estimulante para eles, mas pode dar muito trabalho para você ter que aguentar o tempo todo a insistência de ser pego no colo mil vezes para acender e apagar luzes.

Para evitar conflito, tente oferecer um telefone de brinquedo a fim de saciar a vontade dele de controlar as coisas. Outra alternativa é deixar de propósito, em alguma gaveta ou armário mais baixo, itens seguros que possam ser "encontrados" e manipulados sem risco. Não deixe de verificar antes se não há mesmo nenhum pedaço de madeira ou outro acabamento se soltando que possa machucar o bebê.

Corrida de obstáculos
Se o seu filho estiver engatinhando, se arrastando de bumbum ou até, se for apressado, dando os primeiros passinhos, incremente a experiência com muitos obstáculos no meio do caminho para ele tirar da frente -- algo que é ótimo também para aprimorar as habilidades motoras da criança. Valem almofadas, revistas velhas e até pais cansados! Só não use animais domésticos, porque o bebê pode machucá-los sem querer.

Rola a bola
Crianças pequenas são apaixonadas por bolas e pelo jeito como elas se movimentam. Experimente só jogar uma bola bem grande para cima e deixá-la cair no chão como se não tivesse conseguido pegá-la a tempo.

Outra forma divertida de brincar com bolas é escolher uma de plástico molinho ou tecido e jogá-la na direção do bebê. Aos poucos, ele vai aprender a pegá-la e jogar de volta para você. Por enquanto, nada de chutes ou cestas.
10 a 12 meses
Seu bebê já não é mais aquela coisinha frágil de outros tempos e, a cada dia que passa, aprende novidades mais depressa e precisa passar mais tempo no chão, para explorar o mundo. Nesta fase, atividades que estimulem o desenvolvimento motor, como ficar de pé, empurrar e tentar subir, são importantíssimas.

Arruma e desarruma
Agora que a criança está descobrindo a conexão entre objetos do mundo, ela vai gostar de empilhar bloquinhos, colocar cubos em uma determinada ordem (que pode não fazer nenhum sentido para você) ou encher e esvaziar caixas com peças menores (fique sempre se olho para que não sejam pequenas demais e possam ir parar na boca).

Dê a seu filho uma caixa de sapato fácil de abrir e mostre como dá para colocar várias coisas lá dentro e tirar tudo depois. Em um dia mais quente, procure uma sombra gostosa e leve potes pequenos de plástico para ele encher e esvaziar com água.

Tudo por um brinquedo
Uma vez que seu filho já fique de pé, coloque-o em uma ponta do sofá e na outra um brinquedo daqueles bem queridos, para que tenha que chegar do outro lado para alcançá-lo. Talvez você tenha que mostrar como funciona essa brincadeira, deixando algo seu lá e se arrastando de joelhos para pegar. Aumente a distância quando perceber que ficou fácil demais, mas não comece com um percurso muito difícil, porque isso pode frustrá-lo, fazendo-o desistir.

Seu mestre mandou…
Faça um barulho estranho e olhe para o bebê para ver se ele imita você. Pode ser que sim ou pode ser que resolva fazer seu próprio som engraçado, e aí será a sua vez de imitar ou de criar de novo algo diferente.

E não se limite só a sons. Faça caretas ou movimentos e veja só o que acontece. Aproveite algum gesto inesperado do seu filho e o repita para mostrar como você sabe fazer como ele, o que o deixará superfeliz.

Hora do banho
Nenhuma criança desta idade se contenta mais em simplesmente sentar na banheira e ser lavada. Bebês mais velhos querem ficar de pé, jogar água para todos os lados, pegar seu cabelo, amassar o sabonete ou o recipiente de xampu.

O melhor jeito de não transformar a hora do banho em uma loucura para você é ter muitos brinquedos para distrair seu filho na água. E isso não quer dizer ter que sair para comprar. Com certeza na sua própria cozinha há uma série de potes e embalagens plásticas que podem servir perfeitamente para brincar, é só procurar e testar para ver o que dá certo.

Depois do banho, lave e enxágue bem os "brinquedos" e deixe-os secando no escorredor de louça.

Atenção: Nunca deixe um bebê brincando sozinho, nem por um segundo, na banheira.

Joyce Lollar é mamãe da Violet e escreve um diário sobre sua filha no BabyCenter dos Estados Unidos, chamado Tending Violet (http://www.babycenter.com/tending-violet).

domingo, 26 de agosto de 2012

8 meses!

Meu bebê acabou de fazer 8 meses.
Ele come bem, tirando a alergia a lactose, come frutas, vitaminas, sopas e canjas.
Dorme bem a noite, acorda de duas a três vezes para mamar. Ele quase não mama mais no peito, a alguns dias ele esteve bem gripadinho, por causa do nariz entupido não conseguia mamar, o que piorou a situação.
Nos dias em que a gengiva está mais irritada, no qual atrapalha o sono do Rafa, acabamos dormindo na sala, eu ele e o pai. Ele já tem 6 dentinhos, uma gracinha rs
Todos os dias de manhã o avô passeia com ele de carrinho, tipo carro mesmo, e depois de bicicleta.
Rafael já fala mamãe, papai, vó, vô e ginga (madrinha), já quase engatinha, se arrasta com facilidade, e se puder fica de pé o tempo todo. Ele já sabe o que quer, de andador vai onde tem vontade, inclusive fica andando atrás da gente.
Ele morre de rir quando vê os avós e os animais (principalmente os cães).
Coloca tudo na boca, coitado com esses dentes coçando. Fica de olho em tudo que comemos.
Faz questão de jogar tudo no chão só pra ver alguém pegando de volta, ama tecidos coloridos e revistas, é lindo vê-lo pegar as coisas com a ponta dos dedos.







 Muitos dentes

 Ele faz tudo de pandero!

 Na rede com a vovó, agora ele senta com facilidade e não pode dar mole com ele aqui rs

 Engatinhando, ou tentando rs


Como eu amo esse papai!!!!!

segunda-feira, 30 de julho de 2012

7 meses





 Em meio as orquideas da vovó Neuza.
Com o primo Luciano, brincando no chão da sala.

domingo, 3 de junho de 2012

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Cólicas

Esqueçam tudo que já ouviram falar sobre cólicas do recém nascido.
Eu fiz de tudo, levei a diversos pediatras diferentes e todos eles disseram a mesma coisa: Só o tempo vai fazer a cólica passar.
Dei muita Simeticona e genéricos (Milicon), consegui até a tal de funchicória, fiz diversos chás como erva doce. Consegui na internet a receita da funchicoria natural tbm, que é um super-concentrado de erva doce. Fiz massagens com óleo, nas quais só deixava meu filho mais nervoso e mais choroso, até compressas com fralda quente, e nada...
Acho o fim não existir nenhum medicamento para realmente aliviar as tais cólicas. Sei que até existiram alguns medicamentos que ajudavam um pouco mais, como o tal do espasmo-luftal, mais sairam de linha.
Uma das pediatras até me receitou paracetamol, mais só quando se chegava ao limite. Cheguei a dar umas duas vezes mais não vi melhora.

Muitas vezes só o colo do papai fazia Rafael dormir um pouquinho, papai colocava ele de bruços sobre a barriga dele e meu moleque finalmente dormia tranquilo. Fica ai uma dica!

Eu passava dias e noites acordada com o Rafael no colo, geralmente chorando. Ele só queria colo e tinha crises terríveis onde chorava sem parar durante horas (sem exagero).
Realmente, não sabia mais o que fazer. Eu chorava de desespero e exaustão, é triste vc não ter certeza do que seu bebê tão sonhado tem...
Infelizmente, as cólicas só passaram com 3 meses e meio.
Mais enfim, estamos aqui, firmes e fortes e em cada fase enfrentando novas dificuldades.


domingo, 4 de março de 2012

Notícias! Primeiro mês

Sei que ando sumida, somente agora consegui respirar um pouco.
Esses dois primeiros meses foram bastante difíceis.
No primeiro mês meu filhote não dormiu nada durante as noites, passava as noites em claro com ele chorando por causa das terríveis cólicas e prisão de ventre Ele ficou com fama de chorão por causa disso.
Logo no inicio peguei uma baita gripe. De resguardo, com a cesária saindo liquido, sem dormir e cuidando sozinha de um RN. Fiquei depressiva, na verdade quase pirei! Muita dor na coluna, eu passava as noites na sala e meu pequeno no carrinho, para meu marido dormir um pouco pq tinha que ir trabalhar.
Mesmo assim, eu o acordava diversas vezes durante a madrugada, para ele me ajudar.
Rafael antes da primeira quinzena de vida já estava tomando antibióticos, por causa da gripe que passei pra ele e de uma secreção que começou a sair do ouvidinho dele.
Bem lembrado, com apenas 6 dias liguei para o pediatra dele e falei sobre as cólicas e sobre o olho dele estar bem amarelinho. Ele me encaminhou ao hospital para fazer exame e ver a gravidade da provavel icterícia. Chegando lá o diagnóstico foi confirmado e ele teve que fazer um exame de sangue para ver se teria que ficar internado e tomar banho de luz. Um ser tão indefeso, com as veias da grossura de uma linha... Não conseguiram tirar a sangue dele, ele gritava enquanto eu segurava os braços e o peito dele, meu marido as pernas e a enfermeira ajudava com o bracinho. Ele chorou muito, talvez eu e Daniel choramos mais. Eu ainda choro só de lembrar que foi a primeira vez que percebi que ele me reconheceu. Ao pega-lo no colo ele parou de chorar imediatamente. Conclusão: Fomos até a maternidade do hospital e fizeram esse exame pelo pezinho, e graças a Deus a taxa estava alta, mais ele não precisava ficar no hospital.
Numa certa ocasião, logo na primeira semana, meu filho estava chorando e preparei uma mamadeira com Nan para ele, somente 30 ml. Ele mamou, encostei ele em meu peito para ele arrotar, ele arrotou com um pouco de "gofo" e simplesmente DESMAIOU. Eu entrei em pânico, já passava das 4 horas da madrugada, comecei a chorar, gritando por meu marido pela babá eletrônica. Coloquei ele de bruços pensando que estava engasgado, dei uns tapinhas nas costas dele e nada... Meu marido desceu desesperado, pegou Rafael e disse: Amor, ele está apenas dormindo rsss
Mais uma dificuldade, meu leite não veio logo. Demorou muitas dias para chegar e ainda com ajuda de remédios. Eu chorei muito por não conseguir amamentar meu filho. Só quem passa por semelhante situação sabe o que é ver seu filho chorar de fome e ter que ir correndo fazer uma mamadeira em vez de apenas oferecer o seio. Sem falar do vinculo... Hj, graças a Deus tenho um pouco de leite, mais não consegui me livrar da mamadeira. Tentamos o Nan pro 1, Nan HA e paramos no Aptamil que aparentemente faz bem a ele.

Dr Gilson Camara, agradeço a Deus por ter colocado esse homem em nossas vidas. Ele é o homem que fez realizar meu sonho em ser mãe.

 No dia que tomou as primeiras vacinas.






Obrigada meu Deus!!!!